quinta-feira, 8 de maio de 2008

Os X-Men 01: Os adolescentes mais incomuns de todos os tempos!

“Os X-Men”
(The X-Men 01, setembro de 1963)

Roteiro: Stan Lee.
Desenhos: Jack Kirby.
Arte-final: Paul Reinman.
Marvel Comics.

Sob a rubrica de serem os super-heróis mais estranhos de todos, em setembro de 1963 é lançada a revista “Os X-Men”, de autoria da consagrada dupla que praticamente moldou o Universo Marvel, Stan Lee e Jack Kirby.

Conforme afirmado pelo próprio Stan Lee, o grupo inicialmente iria se chamar “Os Mutantes”. Porém, a cúpula da editora vetou o projeto e mandou Lee criar outro nome para a equipe. O escritor veio então com a proposta de chamá-los de X-Men por duas razões. Primeiro porque o “X” viria do nome do tutor da equipe, o Professor Xavier. O outro motivo era porque os dons dos mutantes eram algo eXtra que eles tinham com relação aos humanos normais. Interessante notar que já na primeira edição, os mutantes são chamados cientificamente de homo superior. Futuramente, o "X" também teria sua razão de ser por conta do gene "X" mutante, o que os distinguia geneticamente dos demais humanos.

Outro diferencial da equipe com relação aos outros grupos de super-heróis que existiam na Marvel era o de que os seus personagens fugiam dos estereótipos comuns. Assim, conforme o próprio Lee relata, o líder da equipe em campo, Ciclope, é um rapaz cheio de perturbações e inseguranças; o de aparência mais bestial de todos, o Fera, era o mais inteligente e sagaz e assim por diante.

A história se inicia no Instituto Xavier para Jovens Superdotados (não há menção expressa dessa nomenclatura que se consagraria anos depois), com o treinamento de Ciclope, Homem de Gelo, Fera e Anjo. Esta foi a forma encontrada por Lee para apresentar os personagens, bem como as habilidades de cada um. Não é revelado como a Escola foi fundada e nem como o grupo se reuniu pela primeira vez. Isso seria mostrado anos mais tarde nas "Origens dos X-Men", uma série de histórias secundárias publicadas entre as edições 38 a 56 desse mesmo título.

Assim que acaba a “aula” dos quatro mutantes, o Professor X os chama para se apresentarem à mais nova aluna do Instituto: Jean Grey, batizada como a Garota Marvel. Só por curiosidade, Jean Grey é a minha X-Man preferida, mas não graças a esta fase e sim naquela que se inicia em Giant Size X-Men #01, que abordaremos no futuro.

Jean Grey é apresentada como a mais nova aluna, mas futuramente seria mostrado que na verdade ela foi a primeira aluna de Xavier. Na edição 27 da revista Bizarre Adventures, de 1981, Chris Claremont conta uma história da Fênix na qual há o suposto primeiro encontro de Xavier com sua então primeira aluna. Curioso que, nas "Origens dos X-Men" (#38-56), Jean Grey não aparece justamente porque nesta edição de estréia é o seu suposto primeiro contato com o grupo. Mas nada que afete drasticamente a cronologia dos X-Men.

É interessante a forma como Lee retrata o Professor Xavier, como uma pessoa muito séria e bastante rígida com seus alunos. Outro dado interessante é o merchandising que o escritor faz nos quadros da revista, como uma maneira de instigar os leitores a acreditar de que tudo aquilo que ele escreve (com certo exagero, ressalte-se) é verdade.

Reparem:


Nunca na história da humanidade, houve uma ‘aula’ como essa! Nunca houve um ‘docente’ como o Professor X! E nunca existiram ‘alunos’ como os ‘X-Men’.

Agora, prepare-se para uma das mais empolgantes leituras da sua vida, pois você está prestes a entrar no fascinante e imprevisível mundo dos... X-Men!





Agora, faço uma pequena descrição sobre cada uma das habilidades dos X-Men originais:

Ciclope (Scott "Magrão" Summers): pode soltar rajadas ópticas de seus olhos. Como não possui controle sobre elas, usa um óculos de quartzo-rubi, único material capaz de conter os disparos. Nesta primeira edição não é revelado o nome oficial do personagem. Magrão ("Slim") Summer é tudo o que os leitores obtém a seu respeito. Esse apelido não pegou, salvo uma ou outra menção.

Anjo (Warren Warthington III): dotado de asas, possui o incrível poder de... voar!

Homem de Gelo (Robert "Bobby" Drake): pode lançar projéteis, formar objetos, bem como deixar seu corpo em forma de gelo. Detalhe curioso (e ridículo para os dias atuais) são as botas que ele usava nessas primeiras histórias. Ele também aparentava mais um Boneco de Neve, mas na edição #08 ele adotaria o visual que estamos mais acostumados.

Fera (Hank McCoy): possui agilidade sobre-humana. Também tem inteligência acima da média. Futuramente, seu corpo se transformaria para uma forma animalesca, lembrando um símio, de cor azul, que será seu perfil mais consagrado até hoje.

Garota Marvel (Jean Grey): nesta primeira edição, é revelada a sua telecinese, o dom de mover objetos com a mente. Mas Jean também possui telepatia, que significa basicamente transmissão de pensamentos.

Enfim, estes são os X-Men originais, bem diferentes daqueles que nos habituamos. Não é nem de longe a minha formação favorita, mas é sempre um agrado vê-los juntos nas histórias atuais (quando algum não está morto, obviamente).

O próprio Xavier, que se declara o primeiro mutante (que seria desmentido depois) resume, em síntese, os objetivos da escola:




“Agora, permita que eu fale um pouco sobre a minha escola... Meus pais trabalharam no projeto da primeira bomba atômica! Assim como vocês, também sou um mutante... provavelmente o primeiro homo superior! Tenho o poder de ler mentes e projetar meus pensamentos na cabeça das outras pessoas. Porém, quando eu era jovem, as pessoas comuns me temiam, não confiavam em mim! Percebi então que a raça humana não estava preparada para aceitar pessoas com superpoderes e decidi construir um refúgio... uma escola para X-Men! Aqui, escondidos dos humanos normais, aprendemos a usar nossos poderes em proveito da humanidade... para ajudar àqueles que nos temeriam se soubessem da nossa existência! Devido a um acidente de infância, sou forçado a permanecer nesta cadeira, mas tenho diversos aparelhos ao meu comando por meio de um painel de controle... e, com meus poderes, estou sempre em contato com os X-Men!”





Essa referência à Bomba Atômica deve-se ao fato de que, naquela época (Era de Prata dos quadrinhos), a radiação era vista como uma forma de poder realizar todo tipo de coisa, como transformar pessoas em monstros (Hulk), ou simplesmente conceder poderes fantásticos (Quarteto Fantástico). Algo como a engenharia genética nos dias de hoje.

Já a referência a um acidente de infância que o impossibilitou de andar é esquecida e na edição #09 da revista nos é revelado o verdadeiro motivo: um confronto com o vilão Lúcifer.

Mais uma vez, o próprio Xavier nos responde qual é a missão dos X-Men:




“Existem muitos mutantes no planeta, Jean... e a cada ano nascem mais! Nem todos querem ajudar a humanidade! Alguns odeiam a espécie humana e querem destruí-la! Alguns acreditam que os mutantes deveriam dominar o planeta! É nosso dever proteger a humanidade deles... dos mutantes malignos!”





Simples, não?

Nem tanto. Ao contrário do que parece, a proposta dos X-Men, além, é claro, da diversão, é criar o debate acerca da discriminação das minorias. Não quero com isso tirar leite de pedra dizendo que com uma história de herói versus vilão, as pessoas sairão mais conscientes a respeito de aceitação e erradicação do preconceito contra negros, homossexuais, deficientes etc. Muitas pessoas bastante preconceituosas adoram os X-Men (os personagens, os poderes são legais, etc.). Mas para mim, o fascínio que este grupo exerce com relação às demais equipes está justamente aí (além do carisma, tramas, personagens...).

Voltemos à história. Logo após relatar acerca da existência de mutantes malignos no mundo, Magneto nos é apresentado. Trata-se do maior e melhor vilão dos X-Men (ao contrário da formação original do grupo, em matéria de vilão, Magneto nunca foi superado, na opinião da esmagadora maioria dos leitores).

Magneto, como o próprio nome diz, tem o dom de controlar os campos magnéticos da Terra, de modo que consegue flutuar, controlar objetos metálicos e criar um campo de forma impenetrável.

Após sabotar o lançamento de um foguete, Magneto decide tomar para si uma base militar. Ciente da ocupação, Xavier convoca os X-Men para o que seria o “batismo de fogo” da equipe. E então, nos é apresentada a primeira luta da equipe contra o vilão. Após uma certa dificuldade, o vilão e derrotado e foge.

O local, Cabo Cidadela, apareceu pela primeira vez em Amazing Spider-Man 01, a segunda história do Homem-Aranha na qual há o lançamento do foguete de John Jameson.

Ao final da edição, os X-Men são chamados de "uncanny". Anos mais tarde a revista passaria a se chamar oficialmente The Uncanny X-Men (Os Fabulosos X-Men).

A revista era bimestral. A partir da edição 14, passou a ser publicada mensalmente.

Sinceramente, não sou muito fã das histórias dessa Era de Prata dos quadrinhos. Stan Lee é um gênio por conseguir criar personagens tão bons para a Marvel e por ter tido um trabalho tão prolífero ao longo de vários anos. E Jack Kirby também merece os créditos por criar uniformes e desenhar tanto em tão curto espaço de tempo. Claro que hoje os desenhos e as histórias perto do que vemos das equipes criativas atuais soam muito datados, mas se enxergarmos com os olhos da época (eu consegui, mas confesso que não é uma tarefa fácil), há como tirar um bom proveito das primeiras histórias dos X-Men. Mesmo que por mera curiosidade, todo fã de X-Men deveria "experimentar".

Trata-se de uma verdadeira edição de estréia que não fica a dever às outras de sua época (apesar da trama bastante simples e sem muita explicação por trás das ações do Magneto) e, ao contrário das estréias dos títulos atuais, a história se encerra já na primeira edição. Mas quero deixar essa questão para outra discussão.

Enfim, aqui tem início a revista X-Men que, depois de um período que beirou o cancelamento, mais tarde se chamaria The Uncanny X-Men e hoje está se aproximando da sua 500ª edição (em julho nos EUA), além de várias títulos derivados, sem a menor previsão de encerramento.

Indiscutivelmente, o início de uma era.

Abraço a todos!

Primeira aparição: Professor Xavier, Ciclope, Anjo, Homem de Gelo, Fera, Jean Grey (como Garota Marvel), Magneto.

11 comentários:

Cristiano Dombroski disse...

Prezado Noturno!!
Sempre quis saber o início de tudo; da escola do professor; como tudo começou. Agora terie essa oportunidade, graças a ti.
Parabéns pela dissertação.
Um forte abraço do amigo "CICLOPE".

Joaquim disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Noturno disse...

Não zoa meu BLOG, Joaquim. heheh...

Joaquim disse...

Tá... politicamente correto... vamos fazer um "podcast"?

Joaquim disse...

E o meu mutante favorito é o Magneto. Que mane pacifismo eu quero é que os "homos superior" mandem no mundo.

PS: vou ler tudo... aguardem X-comentários criativos.

felipe disse...

Essa fase é bem divertida, as historias sao legalzinhas, e tem algumas coisas que hoje parecem tao estranhas, levei um susto quando o Xavier fala em uma das primeiras ediçoes que esta apaixonado pela Jean! A Jean chega no instituto e todos os caras ficam dando emcima dela o tempo todo, e até o Xavier é apaixonado!

Felipe disse...

Lembrei de outra historia dessa fase, que o Xavier finge que perde os poderes, e os X-men quase morrem na missao, mas no fim é uma pegadinha do careca, no fim ele fala que fingiu que estava sem poderes para testar os X-mens !!!

Noturno disse...

Olá Felipe, seja muito bem vindo ao Blog. O que você postou é bem por aí mesmo. A gente estranha muito umas atitudes que no mundo real ficariam muito incoerentes. É o que o pessoal fala de "período da inocência" dos quadrinhos. É muita situação nada a ver. Nessas primeiras histórias dos X-Men, existem momentos de situações esdrúxulas bastante recorrentes. Obrigado pela visita!!

White Ronin disse...

Caras, tenho muita vontade de ler na íntegra essa fase "EraPratistaLifeStyle" dos meus mutunas!

Tá , eu até lí aquela saudosa HTV que mostrava a origem da equipe mas me parece que a Panini fez um trabalho primoroso com as "Bibliotecas" as quais por falta de $$$TEMPO$$$ não pude adquirir!

Essa apresentação que o Noturno fez deu uma maximizada na curiosidade em adquirir o material ... ou ganhá-lo!!! Uahahaha (rola umalgoaê, Noturno?)

Parabéns pelo capricho!

Zatanno Frost

chrobain disse...

Fala noturno! Sou lá do MBB e estou comentando aqui pra, além de concorrer a Biblioteca, poder ressaltar que esta fase dos X-men é muito boa, mas sem sombra de dúvidas, o melhor ainda está por vir ! Sou daquela que sem Wolverine, X-men, mesmo que bem escrito, perde muito a graça! Boa sorte e invejo a sua paciência e obstinação em comentar estas fases todas dos gibis! Fala sério!!!

Abraços e boa sorte,

chrobain (Helder)

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado