domingo, 11 de maio de 2008

Os X-Men 02: Ninguém pode deter o Vanisher!

"Ninguém pode deter o Vanisher!"
(The X-Men 02, novembro de 1963)

Roteiro: Stan Lee.
Desenhos: Jack Kirby.
Arte-final: Paul Reinman.
Marvel Comics.

Nesta segunda aventura, os X-Men são chamados às pressas pelo Professor Xavier para que eles conheçam o seu mais novo oponente: o Vanisher, um mutante capaz de se teleportar.

O nome do vilão não foi traduzido aqui no Brasil por ser, de certa forma, uma tarefa bastante difícil, já que Vanisher é "aquilo que desaparece". Não seria prudente chamá-lo aqui de "Desaparecedor" ou "Teleportador" (se bem que este último serviria bem).

A história é bastante simples. O Vanisher rouba os planos de defesa intercontinental e exige 10 milhões de dólares para que ele não os venda aos comunistas. Quatro guardas vigiavam os planos, enquanto a pasta que o continha ficava dando sopa na mesa. É a inocência da época.

Confesso que ao ler essas histórias que são muito diferentes daquelas que estamos acostumados a ver hoje nas bancas, tenho apreciado cada vez mais o traço do Jack Kirby. Ele merecidamente é chamada de "Rei" e nunca contestei isso. Sempre achei que ele mereceu o título pela imensa contribuição na indústria dos quadrinhos, mas depois de ver a bela seqüência que ele criou com o treino dos X-Men, estou me inclinando a me tornar um de seus fãs. Essas seqüências ficaram ótimas, e a simplicidade dos quadros não prejudica a narrativa da história.

Voltando à história, depois de serem derrotados pelo vilão, a solução para o caso é o vilão ser derrotado pelo poderes mentais do Professor Xavier. A telepatia do mentor dos X-Men resolve o problema de forma bastante fácil, mas naquela época deveria até ser uma inovação.

O Agente do FBI Fred Duncan, faz sua primeira aparição. Ele é a ligação dos X-Men com o governo e foi graças a ele que Xavier conseguiu a licença para abrir seu Instituto. Fred Duncan ficaria esquecido por anos, até ser inserido em histórias posteriores ainda na Era de Prata. Logo após o início do rumo da revista para a questão da histeria anti-mutante, seu elo com os X-Men passou a ser mais clandestino. O personagem foi morto gratuitamente como parte da origem do vilão X-Cutioner nos caóticos anos 90. Uma história interessante a respeito do personagem pode ser observada no especial X-Men: Odd Men Out, que você pode saber mais a respeito clicando aqui.

Trata-se de uma edição respeitável e sem muita relevância para a cronologia dos mutantes. No entanto, foi importante para poder ir apresentando melhor os personagens centrais. Só um dado curioso, nesta edição os X-Men são queridos como heróis, bem diferente do que se seguiria anos depois.

Apenas um detalhe final bastante curioso. No início da edição original, o Anjo fala para a Garota Marvel: "Careful, Jeanie! Remember, Dr X told you not to strain your teleportation powers!". O Dr. X é, obviamente, Charles Xavier e os poderes de teleporte que Stan Lee se referia era os poderes telecinéticos da personagem. Era freqüente naquela época Stan Lee se esquecer dos nomes e poderes de seus próprios personagens. Mas ele merece um crédito, por escrever tantos títulos ao mesmo tempo.






Abraço a todos!


Primeira aparição: Vanisher, Agente Especial Fred Duncan.

Um comentário:

White Ronin disse...

Curto prakarako o Vanisher! Restolho mutuna mequetrefe que funciona!

Também concordo com vc sobre a arte do Kirby! ADOGUEY quando o Landron começou a emular o estilo do "The King" em Cable!

Parabéns por mais um review "dubalacubacu", amiche!

Zatanno Frost