quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Os X-Men 11: O triunfo de Magneto!

"O triunfo de Magneto!"
(The X-Men 11, maio de 1965)

Roteiro: Stan Lee
Desenhos: Jack Kirby
Arte-final: Chic Stone
Marvel Comics.

Os X-Men atendem ao chamado do alarme de emergência acionado por Ciclope. Eles tentam ver um suposto mutante dectectado pela mais nova geringonça de Xavier: o novo Radar Visualizador. Porém, o nível de energia desse ser misterioso é tão grande que eles não conseguem identificá-lo. O radar deve ter custado uma nota e já estréia falhando. Morrendo de medo desse suposto mutante se aliar a Magneto, os X-Men decidem procurá-lo, não sem antes Bobby e Hank terem mais um momento de disputa um com o outro.

Enquanto isso, longe dali, um homem estranho(!) aluga um quarto em um hotel da cidade. A dona do hotel pede o tutu adiantado, e o Estranho indaga: "Tutu?". Hehehe... Hilário! Depois de saber que "tutu" significa dinheiro, ele é deixado em paz e decide caminhar pela cidade. O Estranho começa a flutuar para evitar o fluxo de pessoas, o que acaba chamando muito a atenção das pessoas. Ele tenta se esconder e se sente atraído a um prédio que o leva diretamente a Magneto e sua Irmandade de Mutantes. Tava demorando... Magneto diz que estava à sua espera.

Entrementes, os X-Men iniciam a busca pelo Estranho na cidade. Ciclope aborda dois policiais indagando acerca do Estranho e isso leva os policiais a suspeitarem de Scott por usar óculos escuros em um dia nublado. Eles tentam tirar os óculos à força (incrível como todos tentam fazer isso com o coitado) e acabam conseguindo, mas isso faz com que as rajadas ópticas sejam disparadas. Antes que algo mais grave aconteça, o Fera salva seu amigo e os dois vão ao encontro do Homem de Gelo.

No milésimo esconderijo de Magneto, o Estranho indaga o vilão sobre os motivos pelos quais ele está sendo contatado. Magneto, todo arrogante, diz que o Estranho deve se juntar à sua Irmandade e obedecê-lo, e, talvez para impressioná-lo, faz uma demonstração de seu poder. Logo em seguida, o Mestre Mental faz o mesmo. O Estranho pára a brincadeira dos dois e transforma o Mestre Mental em um bloco sólido.

Os X-Men ouvem todo o furdúncio e vão em direção ao prédio. Lá inicia-se uma nova luta entre os X-Men e a Irmandade de Mutantes. O Estranho, Magneto e Groxo saem de cena em um cone de energia criado pelo primeiro. Enquanto o Homem de Gelo congela Mercúrio, a Feiticeira Escarlate joga o teto do andar encima do Fera, mas este usa seus dons acrobáticos para rodopiar o teto(!!!) como se fosse uma bola de circo.

Muito enciumada, Jean ataca a Feiticeira Escarlate mas esta diz que seus dias na Irmandade acabaram. Ciclope liberta Mercúrio e os dois vão embora, impunes, porém decididos a não cometer mais crimes. Eles recusam o convite de se jutarem aos X-Men e partem para a Europa.

Em uma mata deserta, o Estranho aciona a "dissolução", deixando ele, Magneto e Groxo de volta ao plano terreno. Magneto volta com seu discurso arrogante e Estranho fica irritado e cobre ele e Groxo com uma "película antimagnética".

Enquanto isso, na base dos X-Men, Xavier detecta vida no corpo solidificado do Mestre Mental, porém diz que suas moléculas foram modificadas por Estranho. No X-Licóptero (hehehe, brincadeira, não existe esse nome), eles vão atrás de Estranho que revela que veio das Estrelas e que seu povo possui interesse em mutações. Ele diz que veio coletar espécimes mutantes para seus estudos e assim leva Magneto e Groxo com ele para o espaço e promete que eles jamais voltarão. Uma baita mentira, como veremos em breve.

Guardas aparecem e os X-Men fogem no helicóptero, enquanto um Fera saltitante hipnotiza os policiais com seus saltos. Na Mansão X, Xavier tira os adesivos de Magneto, Groxo e Mestre Mental de Cérebro por estes não representarem mais ameaças mas, logo em seguida, Cérebro começa a piscar como nunca por ter detectado uma nova ameaça... "o perigo mais grave e mortal" que os X-Men já encararam... que será revelado na próxima edição como o Fanático! "Nunca vi um mero equipamento eletrônico acusar uma condição tão aguda de pânico". Que legal, uma máquina que sente pânico. Mas o Fanático não é mutante, então como o "detector de mutantes" detectou a "ameaça" do Fanático?!? O Cérebro, mesmo em pânico (hehehe...), detecta ameaças ou mutantes no final das contas? Enfim, sintam o desespero da pobre máquina no final desta resenha.

Eu confesso que estou gostando cada vez mais dessas aventuras antigas. O título dessa edição é bastante irônico, porque realmente Magneto é o primeiro a contatar o Estranho, antes de Xavier e seus pupilos (e se dá mal!). Tem muita coisa sem noção que acontece nas histórias, alguns absurdos que chegam a ser motivos de boas risadas. O padrão dessa história segue o mesmo das anteriores, ainda mais levando em conta que a Irmandade de Mutantes reaparece.

O Estranho é outro tipo de personagem que não tem nada a ver com o universo dos X-Men. A descrição sobre o que ele é dada de forma muito vaga nesta história. Em Fantastic Four 116, descobrimos que ele é um ser cósmico formado pela fusão de todos os habitantes do planeta Gigantus. Já em Quasar 16, nos é dito que o Estranho é um vivisseccionista cósmico com conexões com o Tribunal Vivo. Uma terceira explicação sobre sua origem ocorre na mini-série X-Men Eternamente (de Fabian Nicieza e Kevin Maguire), publicada aqui nas primeiras edições da revista X-Men Extra (para terem uma idéia da "conexão" entre o Estranho e os X-Men, eles só voltariam a se encontram nesta mini-série de 2001). Nela, é revelado que o Estranho tem como objetivo formar um novo universo, e, para isso, ele procura acelerar a evolução da humanidade. Assim, ele ocupará o lugar de Galactus no novo universo a ser criado. Quanta confusão desnecessária...

Esta é a última edição efetivamente desenhada por Jack Kirby, o que é uma pena pois aprecio cada vez mais o traço simples e prático dele. Até a edição 17, ele fará apenas os esboços das histórias.

Abraço a todos!

Primeira aparição: Estranho.

4 comentários:

James Figueiredo disse...

Porra, Neto, QUE MEDO dessa fase dos X-men, viu...rs

Só de ler a tua descrição da história, já me dá arrepios - E, putz, imagino se o John Buscema tivesse desenhado essas edições ao invés do Kirby...

Eu reconheço a importância história do Kirby, mas nunca achei que ele fosse tão bom quanto alguns de seus contemporâneos (na verdade, gosto bem mais do trabalho dele com os Novos Deuses, na DC).

Abraço,
J.

P.S.: Entrou num frenesi de comentários lá no Pirâmide, hein?? ;)
Valeu mesmo, homem!

Noturno disse...

Também sou fã do Buscema. Curto muito o traço dele!

Mas o Kirby inventou todos esses uniformes, criou o Surfista, enfim, o "Rei" possuía uma inventividade incomparável.

Quanto à história, vai por mim, leia e dê umas boas risadas.

Abraço!

White Ronin disse...

Irmandade X X-Men!!! Round 04!!! FIIIIIIIIIIIIIGHT!!!

Nússa, o Estranho é muito estranho!Desculpa aê o trocadilho! Uahaha! Inevitável!

Edição muito interessante onde o ETzão faz a "arrogantemente arrogante" "Fada Púrpura das Trevas"(apelido que eu dei pro Magneto pra zoar um amigo que é TP da personagem! uhahahaha), CHUPAR O QUE É DE UUUUUUVA! Uahahahahaha

Toma, Magneto! uahahahaha

Take care,

Zatanno Frost

P.S: Esse "bigudim" do Estranho é muuuuuito nonsense! Uhahahaha

Erick disse...

Concordo que o Buscema é melhor desenhista, mas o Kirby é melhor designer e tinha uma imaginação sensacional e invejável.