quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Os X-Men 09: Surgem os Vingadores!

"Surgem os Vingadores!"
(The X-Men 09, janeiro de 1965)

Roteito: Stan Lee.
Desenhos: Jack Kirby.
Arte-final: Chic Stone.
Marvel Comics.

A história inicia-se em um transatlântico dirigindo-se à Europa. Por conta de um nevoeiro, um iceberg surge repentinamente à vista dos tripulantes, sem possibilidade de desvio. Graças à uma rajada óptica de Ciclope, tudo é resolvido.

Ciclope explica aos demais X-Men que o Professor Xavier o contatou há uma semana para que eles fossem à Europa para ajudá-lo numa missão que ainda não havia sido revelada. Nesse exato momento, Xavier o contata e diz que está indo ao encalço de Lúcifer, o responsável por privá-lo do uso de suas pernas. Note a incoerência com a informação passada pelo próprio Xavier na primeira edição da revista, ocasião em que o mentor do grupo revela que ficou aleijado em um acidente de infância. O Professor X promete contar toda a história em outra oportunidade (e ele efetivamente o fará em The X-Men 20).

Lúcifer cria algumas armadilhas a fim de impedir Xavier de se aproximar dele. Porém, este escapa ileso. No momento em que começa a atirar com um revólver no vilão (espere para ver a incoerência com o final da história), Lúcifer informa que não pode sofrer qualquer ataque pois uma bomba capaz de destruir um continente (a Antártida e não a Europa, conforme é mostrado no final da história) está ligada aos seus batimentos cardíacos.

E esse é o mote para o confronto dos X-Men com os Vingadores. O martelo de Thor, Mjolnir, detecta "impulsos estranhos" e "malignos" e assim os Maiores Heróis da Terra (foi pra você M1ster) viajam para a Europa a fim de acabar com esse perigo iminente.

Como Lúcifer não pode ser detido em razão da eventual detonação da bomba, os X-Men são incumbidos pelo Professor Xavier de impedir que os Vingadores confrontem o vilão. E assim, boa parte da edição mostra o combate das duas superequipes. Ocorre que nada impedia Xavier de já ter avisado seus pupilos sobre as razões desse impedimento. Com isso, evitar-se-ia o combate (perdão pela mesóclise). Mas, convenhamos, isso perderia toda a graça da história. Tramas inocentes, preciso me lembrar sempre disso quando leio essas histórias da Era de Prata.

Há uma bela citação do Fera nesta edição que eu gostaria de reproduzir. Ficou muito boa, na minha opinião:

Não preciso mais de minhas roupas civis! Não há razões para continuar disfarçado! O prelúdio acabou! Agora, as cortinas se abrem para o primeiro ato! O palco está montado... o elenco está reunido... e, a não ser que tenha me enganado feio, o Fera será um dos protagonistas!


Muito bom! Realmente, o Stan Lee é o "The Man".

No subterrâneo dos Balcãs, Xavier usa seus poderes para controlar os batimentos cardíacos de Lúcifer. Logo após, o professor contata Thor e explica todo o ocorrido. Os Vingadores partem deixando a missão por conta dos X-Men e o confronto resta inacabado.

Depois do vilão adormecer (é mostrada a complexidade do procedimento nas palavras do professor durante o embate), Xavier e Ciclope desarmam a bomba. É aqui que se mostra as conseqüências da eventual explosão.

No final, os X-Men deixam Lúcifer partir gratuitamente sob o argumento de que "os X-Men juraram nunca machucar os humanos", o que é no mínimo estranho se levarmos em conta que a prisão seria o mais sensato depois de um vilão periclitar a vida de inúmeras pessoas. Xavier também humilha o coitado dizendo que o deixa partir para que ele sinta a sensação de derrota. Que maldade, Professor! Fica no ar um mistério sobre a origem de Lúcifer mostrado por meio dos pensamentos do Homem de Gelo.

Apesar da suposta importância de ter sido o responsável por deixar Xavier em uma cadeira de rodas, Lúcifer nunca teve muito destaque na mitologia mutante, uma vez que Xavier voltou a andar por mais de uma vez e outros eventos o fizeram ficar paralítico novamente. Ainda agrava a situação do vilão o fato deste não ter um propósito específico. O máximo que ele consegue dizer a Xavier é que passou anos esperando por seu ataque à humanidade (no mínimo dez anos, já que ele fala que este foi o tempo de construção da bomba térmica).

Destaco uma cena no mínimo patética (ah, a inocência) em que Jean Grey é alertada por Ciclope de um buraco minúsculo a sua frente. Usando seus incríveis poderes telecinéticos, Jean prefere usar um pedaço de madeira para cobri-lo do que simplesmente dar um passo um pouco maior (sim, estou sendo irônico). Tentarei reproduzir a imagem ao final dessa revisão.

Com relação à arte, Jack "O Rei" Kyrby continua com seu traço simples e limpo (porém, inovador para os padrões da época). E pessoalmente já me acostumei com a arte-final de Chic Stone.

Enfim, uma boa edição, com o provável primeiro crossover dos X-Men com os Vingadores e uma trama inédita que não tem nenhuma relação com a Irmandade de Mutantes (sim, ainda estou traumatizado).

Abraço a todos!

Primeira aparicão: Lúcifer.

6 comentários:

adailtonba disse...

Sim... os maiores herois da terra estão onde o dever os chama!
Vou tirar um cochilo, e cmentarei estas perolas daqui.
Saudações mutuninhas!

felipe disse...

Achei no minimo estranha a atitude do Xavier, o Lucifer queria explodir uma bomba atomica, e depois dos X-men desarmarem a bomba, deixam o cara livre !!!

Nao gostei do personagem Lucifer, ele tambem foi muito pouco desenvolvido.

Noturno disse...

Felipe, concordo com você. O Lúcifer é um personagem sem pé nem cabeça. Não tem nem objetivo. E os X-Men deixarem ele ir sem levá-lo à prisão ficou muito estranho.

Abraço!!

White Ronin disse...

Neto, esta resenha eu não quis ler pra evitar spoiler!

Mas fico imaginando aqui o que seria uma batalha entre estas equipes naquela época de inocência!?

Os "Heróis Mais Poderosos da Terra" sentaram o braço na mulecada? Ou Stan foi tendencioso e fez os não muito experientes X-Men lavarem o chão com os Vingadores?

Fico no aguardo da leitura!

Take care,

Zatanno F.

Erick disse...

O Lucifer era um bosta mesmo, mas sempre penso pq não trouxeram eler e volta...As vezes repaginado podia sair algo legal daí. Ou não.

White Ronin disse...

Pois é, Erik! O Lúcifer não apareceu mais depois desta edição?

Take care,

Zatanno Frost