quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

The Amazing Spider-Man 238-239: O surgimento do Duende Macabro!

The Amazing Spider-Man 238-239.

Roteiro: Roger Stern
Desenhos: John Romita Jr.
Arte-final: John Romita Sr. (238) e Frank Giacoia (239)
Marvel Comics.

Inicialmente, ressalto que não analisarei a edição 237 de Amazing Spider-Man pelo fato dela não contar com a equipe criativa regular do título (Roger Stern e John Romita Jr.). Essa edição traz um confronto do Homem-Aranha contra o Metalóide e foi produzida por Bill Mantlo (que escrevia Spectacular Spider-Man na época) e Bob Hall (desenhista muito inferior a Romita Jr., mesmo estando este em início de carreira).

Também serão apresentadas a seguir somente duas edições de Amazing Spider-Man pelo fato delas conterem a história completa da primeira aparição do Duende Macabro, que merece ter todo o destaque possível.

Assim, passamos para a primeira parte da história.

"Espectros do Passado Sombrio"
(The Amazing Spider-Man 238, março de 1983)

A história começa com a Tia May assinando uma papelada para a criação de uma pensão de idosos em sua casa. Ela, Nathan e Peter saem para comemorar. De repente, um carro passa em alta velocidade por eles, quase atropelando os pobres velhinhos. Peter se revolta e vai atrás deles.

Já como o Homem-Aranha, ele pega carona numa viatura policial e pára o carro dos assaltantes. Um deles foge e joga uma bomba de fumaça no Aranha. O assaltante fujão foge pelo bueiro.

O Homem-Aranha desiste de procurá-lo no esgoto. No subterrâneo da cidade, o assaltante descobre uma passagem secreta, que o leva ao esconderijo do Duende Verde.



Enquanto isso, Tia May conta pra Anna Watson sobre a pensão para idosos. Peter tenta falar com ela mas só dá ocupado já que as duas não param de fofocar (hehehe...).

No Clarim, Robbie gosta das fotos do assalto e as compra de Parker. Ele descobre que o assalto ocorreu em um depósito das indústrias Osborn.

O assaltante que escapou do Aranha, agora revelado de nome George, mostra o esconderijo para um homem misterioso. Esse homem manda colocar tudo em um furgão.

Entrementes, Robbie dá carona para Peter. No local, eles vêem Lance Bannon. Peter vai até os destroços do depósito da Osborn Corp. que explodiu e descobre sobre o esconderijo.

Ele recebe uma ligação de Tia May (no carro de Joe Robertson, não existia celular ainda) e marca de jantar com ela.

O homem misterioso se livra do assaltante George, explodindo o furgão com ele dentro. Já em sua casa, ele analisa as razões da loucura de Norman Osborn e se transforma no Duende Macabro!

Confira as imagens a seguir em tamanho maior os momentos finais do surgimento deste grande vilão!





"O Duende Macabro Ataca!"
(The Amazing Spider-Man 239, abril de 1983)



Mais um depósito da Osborn Corp. é assaltado e uma nova sala secreta (com objetos do Duende Verde) é descoberta.

O Duende Macabro confabula no seu esconderijo e planeja obter sucesso onde Norman Osborn falhou: derrotando o Homem-Aranha!

O Aranha observa Felícia Hardy, a Gata Negra, se recuperar no hospital depois de ter sido atingida pelos capangas do Dr. Octopus, em uma história produzida na revista Peter Parker: The Spectacular Spider-Man.

O Aranha aproveita e visita também a Madame Teia, que ainda está no hospital depois da batalha do Aranha contra o Fanático, que você pode ler a respeito clicando aqui. Madame Teia manda o Homem-Aranha ligar o rádio e ele fica sabendo sobre outro assalto a um depósito da Osborn Corp. Ela diz ao Aranha que não se lembra mais quem ele é, mas assim que o herói deixa o recinto, ela dá um sorriso.

Enquanto isso, o fotógrafo Lance Bannon tira fotos artísticas de Amy Powell, com quem tem um relacionamento aberto, e é provocado pela modelo sobre sua rivalidade com Peter Parker. Esse relacionamento conturbado dos dois será desenvolvido nas próximas edições.

Peter Parker confabula sobre os arrombamentos e decide procurar dois depósitos da Osborn Corp. que ainda não foram violados. Mas antes decide tirar um cochilo e dorme profundamente. Horas depois, Amy Powell o acorda com uma ligação e o convida pra jantar. Ele recusa se dizendo ocupado.

E assim, o Homem-Aranha vai até o depósito. No primeiro, ele não vê nada de estranho e segue para o outro que tem conhecimento. Lá, ele vê uma luz acesa e se encontra pela primeira vez com o Duende Macabro!



O Duende Macabro tenta escapar sem lutar com o Homem-Aranha pois ainda não se sente preparado pra enfrentá-lo. Mas o Aranha investe contra ele e os dois acabam lutando.




Antes que pudesse ser capturado, o Duende Macabro dispara um raio no chão que rompe uma tubulação de gás. O Aranha impede a explosão e o Duende escapa.

Já no seu esconderijo, o Duende Macabro se sente arrasado pela derrota e tenta descobrir qual era o segredo de Norman Osborn para poder enfrentar o Aranha de igual para igual. O Homem-Aranha, por sua vez, lamenta ter perdido o Duende Macabro de vista e tê-lo deixado escapar.



C O M E N T Á R I O S :

Duas edições excelentes!!! Percebe-se que o surgimento do vilão Duende Macabro foi meio que por acaso e o mistério sobre a sua verdadeira identidade seria uma trama que deixaria os leitores cada vez mais intrigados, com diversos "suspeitos" no melhor estilo "Quem matou Odete Roitman?" (hehehe... admito que fui infeliz na comparação).

O visual do Duende Macabro, na minha opinião, é superior ao do Duende Verde e essa versão original (e com esse mistério instaurado acerca da sua verdadeira identidade) é um dos pontos altos da carreira do Homem-Aranha.

O legal do vilão é que quando não está vestido como Duende Macabro, ele é mostrado sempre nas sombras, o que causa um grande impacto na sua figura misteriora. Nisso, John Romita Jr. conseguiu caprichar nos jogos de luz. E não sei se repararam, mas a estréia do vilão conta com a arte-final de ninguém menos do que John Romita Sr.!

Achei muito bem bolada essa ligação do Duende Macabro com sua vontade de superar o Duende Verde original. Outra coisa muito interessante é a própria fragilidade que o vilão admite para si mesmo, quando pensa que ainda não está preparado para enfrentar o herói aracnídeo.

Assim, ele não é somente um vilão todo poderoso criado para fazer mera figuração e protagonizar cenas de ação. Roger Stern vai desenvolvê-lo aos poucos ao longo das próximas edições, de modo que poderemos acompanhar a evolução do personagem (coisa rara nos dias de hoje em se tratando de novos vilões, que parecem vir do nada para ir ao lugar nenhum).

Ou seja, essas duas edições trazem o surgimento de um vilão tão interessante quanto os clássicos já criados. Falarei mais sobre o Duende Macabro à medida em que mais situações com o vilão forem surgindo nas próximas edições.

De pontos negativos aponto a falta de sintonia entre as revistas Amazing Spider-Man e Peter Parker: Spectacular Spider-Man. Se esta última não for lida, o leitor de Amazing ficará perdido nos acontecimentos acerca da maioria dos coadjuvantes do Homem-Aranha já que, como já afirmei anteriormente, o ritmo dessa revista é muito dinâmico (sem espaço para muitos dramas).

Dentre uma das histórias das próximas resenhas de Amazing Spider-Man veremos uma das histórias mais emocionantes da vida do herói.

Abraço a todos!

BAMF!

11 comentários:

Pip disse...

Noturno, aquele historia do Aranha vs. o Abutre, publicada (acho) em HA 48-49, é da autoria do Stern?

Noturno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Noturno disse...

Pip, existem duas histórias do Abutre de autoria do Stern. As próximas duas histórias depois dessa do Duende Macabro marcam o retorno do Abutre, que foi publicada aqui em HA 49.

Já aquela que eu já fiz a resenha foi publicada em Homem-Aranha 31. Na próxima edição então (ASM 240), o Abutre retorna.

Ah, e ambas são escritas pelo Stern.

Abração!

Átila disse...

Essa fase do Roger Stern realmente era muito boa. Lembro de ter lido e ficado bastante empolgado na época do formatinho. Bom saber que o escritor estará de volta ao título do Aranha nos EUA.

Pip disse...

Noturno, percebi que no seu "run" sobre o "run" do Stern, vc pulou Amazing Spider-Man 237 e 228, pq?

Noturno disse...

Amiche, na introdução de cada uma das postagens das edições posteriores a essas que eu eu pulei eu coloquei um pequeno parágrafo explicando. Olha lá. ;-)

Na verdade, essas duas edições foram produzidas por "fillers" (ou os famosos "tapa buracos").

A edição 228 foi escrita por um tal de Jan Strnad, que nunca ouvi falar na vida, com desenhos de Rick Leonardi. Já a 237 foi escrita por Bill Mantlo (escritor da Peter Parker) e desenhada por Bob Hall. Nenhuma das duas guarda qualquer relação com o que Stern estava produzindo no título.

Abraço, amigo!!

flávio disse...

Eu já tava pensando nesse comentário quando li você reclamar da "falta de sintonia" Spectacular e Amazing. Eu não considero isso um ponto fraco, pelo contrário.

Seria ruim se rolasse um "Carlinização", em que você lesse uma história numa edição e tivesse que comprar o outro título pra ver como termina. Não seria ruim, mas também não teria nenhum diferencial se as duas revistas estivessem envoltas numa "bolha de continuidade", com acontecimentos concorrendo de forma totalmente diferente - tipo, Peter desempregado numa, e professor noutra, ou sei lá, um personagem desaparecido aparecendo noutro título.

NÃO LI as histórias, mas a forma a qual você se referiu eu achei interessante, com os acontecimentos de uma repercutindo na outra, dando uma idéia maior de "universo", sem, entretanto, forçar o leitor à ler o outro título.

Noturno disse...

Excelente lembrança, Flávio!

Eu detesto revistas "Carlinizadas" porque você é obrigado a toletar roteirista e/ou desenhista que você não gosta! Superman anos 90 que o diga!

Também prefiro histórias separadas dos títulos, mas o roteirista poderia dar uma explicação, mesmo que sucinta sobre as mudanças ocorridas da revista irmã.

Abraço!!

DNKS disse...

Cara... lembrar essa fase...
é impossível não ser saudosista quando se trata do Aranha.
Noturno, vai resenhar sobre o Duende Macabro até o final?
De pronto já me veio à mente aquela edição especial do Aranha, onde ele encontra Wolverine na Alemanha que gibi!!!) e a história tem a ver com a busca pela identidade do Duende Macabro.

MAGUS disse...

Que fim levou o cara que escrevou aquela história do Aranha e Wolverine onde o Ned Leeds morre?

Noturno disse...

Magus, acho que era Tom DeFalco. Vou procurar a história, o que pode levar um tempo, quando encontrar eu te falo.

Abraço!!