terça-feira, 10 de março de 2009

X-Men: Gênese Mortal 01 (2006).

X-Men: Gênese Mortal 01 (2006).
(X-Men: Deadly Genesis 01, janeiro de 2006)

Roteiro: Ed Brubaker
Desenhos: Trevor Hairshine
Arte-final: Chris Justis
Marvel Comics.

OS FATOS ATÉ ENTÃO:

“Após o confronto de X-Men e Vingadores com a Feiticeira Escarlate, filha de Magneto, o mundo que conhecemos foi mudado. Onde antes havia centenas de milhares de mutantes, agora restam pouquíssimos – e a maioria da população nem imagina por quê. Magneto é agora um ser humano comum, e Charles Xavier, fundador dos X-Men, está desaparecido.

Neste novo clima de medo e mudança, o governo dos EUA decidiu monitorar de perto a comunidade mutante sobrevivente, e autorizou a reativação do programa Sentinela com esse propósito – mas, desta vez, os robôs gigantes são controlados por seres humanos e não inteligências artificiais.”

Para saber sobre a origem dos robôs Sentinelas, clique aqui.

HISTÓRIA:

A história se inicia com o Fera conversando com Ciclope se dizendo preocupado com o paradeiro de toda a energia que consubstanciava os poderes mutantes, após os eventos acontecidos no Dia M, dia este em que a maioria dos mutantes perdeu os poderes, graças às palavras mágicas da Feiticeira Escarlate (“Chega de mutantes!”) na saga Dinastia M.

Enquanto isso, no espaço, um homem ressurge de dentro de uma rocha que orbitava perto de um ônibus espacial (Prospecto). Assim que descobre que está no século vinte e um, ele se revolta e podemos ver uma intensa energia saindo da nave.

Na Mansão X, Noturno e Colossus têm momentos de nostalgia e relembram a importância do Professor Xavier em suas vidas. Na sala onde fica Cérebra (a máquina detectora de mutantes), Kitty e Emma trocam farpas. Emma está em busca do Professor mas, de repente, recebe uma leitura muito forte de um mutante nível ômega que a faz desmaiar. Kitty consegue ver uma nave espacial pegando fogo na atmosfera, caindo no norte de Nova York.

Os X-Men Ciclope, Wolverine e Rachel Summers, decidem ir ao local investigar. Enquanto isso, na mansão Kitty vê uma imagem fantasmagórica no espelho quando Peter (Colossus) aparece. Ela acha que isso é efeito do acidente com Cérebra. Sem que ela saiba, Noturno tem visões semelhantes no campo da mansão, vendo imagens de homens tentando caçá-lo e chamando-o de demônio.

Enquanto isso, Ciclope e os outros dois X-Men que o acompanham vêem o ônibus espacial sendo segurado por uma mão em forma de rocha. Rachel capta alguém dentro da nave. Eles descartam a hipótese de ser Charles Xavier.

No norte de NY, os X-Men vêem um vulto de Jean Grey em uma caverna. Rachel sai na frente e é aprisionada por um homem misterioso. Wolverine e Ciclope tentam contê-lo, mas são aprisionados por este homem que parece ter pleno controle sobre energia. O homem chama Ciclope pelo nome (Scott) e não reconhece a Garota Marvel (Rachel). O homem leva os dois Summers e deixa Wolverine no local. Logo depois, a UNI (Unidade Nacional de Intervenção) aparece no local e dá voz de prisão a Wolverine.

Na ilha Muir, Sean Cassidy (o Banshee) procura nos arquivos de Moira algo que possa localizar Charles Xavier. De repente, ele vê o vulto de sua ex-amada do lado de fora e vai atrás dela. Ele segue o vulto até uma sala onde se encontram arquivos do Professor Xavier. Lá, ele assiste a uma gravação de Moira Macttagert que afirma que um dia deverá perdoar Charles Xavier pelo “canalha” que ele é.

CONTINUA...
(Obs: Os comentários serão feitos ao final da descrição da última parte desta minissérie)

2 comentários:

Noturno disse...

O texto com o resumo de Gênese Mortal é de dezembro do ano passado, época em que eu tinha bastante tempo pra me dedicar ao Blog.

Vou publicar os resumos primeiro para que a postagem não fique imensa.

Depois disso, ainda tenho outros textos pra publicar.

Penso em escrever esporadicamente, sem muito detalhismo com relação ao resumo da história. Vamos ver como ficará a dinâmica daqui pra frente.

Obrigado.

R2 disse...

Gosto muito do Bruba, mas este é o trabalho dele (que li) que tenho menos apreço.

Acho que ele errou e criou uma situação totalmente desnecessária.

imposição editorial, creio eu.

abraço.